Setembro Freire começa com homenagens ao poeta Wlademir Dias-Pin

Foi aberta na noite desta quarta-feira (02.09) a 4ª edição do Circuito Cultural Setembro Freire, evento realizado pela Casa de Cultura Silva Freire e Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer (Secel) e Casa Civil. A abertura aconteceu no Palácio Paiaguás e teve como cartão de boas-vindas três painéis da mostra ‘Cuiabá Experimental’, de Wlademir Dias-Pino, o grande homenageado desta edição. A exposição representa a produção do movimento cultural e estético intensivismo, que foi criado nos anos 40 como uma forma de identidade cultural mato-grossense que ia contra a colonização da arte europeia e que teve como seus idealizadores o próprio Wlademir e Benedito Sant’Anna da Silva Freire, o poeta que foi inspiração para a criação do Setembro Freire. 

Relembrando a dificuldade de aceitação do movimento vanguardista, Wlademir Dias-Pino disse estar muito feliz com o reconhecimento. “Fico emocionado e muito agradecido. Quando jovens, tivemos a pretensão de criar uma literatura especificamente mato-grossense para termos nossa própria identidade social, exigindo uma posição de respeito e identidade para a individualização mato-grossense e hoje o intensivismo está sendo homenageado”. O artista, que é um dos mais importantes poetas vivos do país, explica que o movimento cultural tem entre suas principais características a linha inclinada, as curvas e a arte geométrica, que são baseados em elementos como pedras, rios e povos indígenas mato-grossenses. 

Wlademir recebeu das mãos do governador Pedro Taques e do secretário da Casa Civil, Paulo Taques, um diploma de honra. O governador destacou ser uma alegria poder homenagear em vida um poeta e grande humanista. “Não conheci pessoalmente Silva Freire, mas conheço sua obra. Temos costume de homenagear as pessoas que morrem, mas hoje tive a oportunidade de homenagear um grande poeta vivo. É uma honra poder estar realizando a abertura do Setembro Freire aqui no Palácio, homenageando este grande mato-grossense que foi Silva Freire e o poeta Wlademir, que está aqui presente com todo seu legado. O Palácio tem que ser um instrumento de divulgação de nossa cultura e tradições”. 

Paulo Taques, que se orgulha de ter compartilhado da visão de mundo de Silva Freire, do qual foi aluno de direito penal durante a faculdade e com quem tinha um convívio próximo, se lembrou de uma conversa presenciada embaixo de um pé de cajueiro, que aconteceu há 30 anos, quando seu mestre e Wlademir conversavam sobre o movimento cultural mato-grossense. O secretário da Casa Civil ressaltou ser uma honra ao governo de Mato Grosso homenagear e enaltecer estas personalidades que são exemplo de vida e serão eternamente lembrados por sua obra e destacou que Wlademir continua com a mesma “sabedoria, vivacidade e decência, com a voz forte e espírito inquieto daquela conversa de 30 anos atrás. É um homem acima de seu tempo”. 

Setembro Freire 

A abertura do evento contou ainda com um coquetel para o lançamento do livro ‘Literatura, Vanguardas e Identidades: nas brenhas do regionalismo’, de Mário Cezar Silva Leite. Segundo o autor, o livro é uma discussão da literatura, que traz uma crítica literária e cultural sobre a criação da identidade cuiabana e mato-grossense, na segunda metade do século XX, quando começa a aparecer as forças contrarias liderados por um grupo de jovens, encabeçados por Wlademir e Silva Freire, todos reunidos com ideia de renovação da produção artística literária em Mato Grosso, que entram com um movimento de ruptura muito grande. “Wlademir é um artista que influenciou na geração de poetas e artistas, que vivem e reverenciam a importância de sua obra. Ele, junto com Silva Freire, monta todo esquema de vanguarda, que rompe barreiras e se opõe a grupos de poetas do começo do Século XX, criando uma identidade cuiabana e mato-grossense. Ele merece todas as homenagens e eu estou muito honrado de lançar o livro neste evento, Setembro Freire, que veio para ficar”. 

A organizadora do evento, Larissa Silva Freire Spinelli, filha de Silva Freire e diretora da casa cultural que leva o nome do poeta, afirma que o lançamento do circuito no Palácio, no ano em que se comemora 150 anos de Marechal Cândido Rondon, tem uma importância muito grande. Ela destaca a relação do intensivismo com o patrono das comunicações, que é uma das personalidades reverenciadas nesta edição. “O intensivismo, liderado por Wladimir e Silva Freire, entre outros poetas, teve relação muito grande com Rondon, já que este serviu de inspiração para muitas obras deste movimento cultural. O lançamento legitima o trabalho destes poetas e da casa Silva Freire”. Em homenagem a Rondon, foi distribuído a 2ª edição do Caderno de Cultura Rondon: Silêncio Orgânico de Flores, com a interpretação do poema de Silva Freire, apresentado por atores, bailarinos e músicos atuantes no cenário cultural de Mato Grosso. 

O secretário de cultura, Leandro Carvalho, enaltece a importância do intensivismo, como um movimento que conecta Mato Grosso com movimentos intelectuais e estéticos globais e reafirma o empenho da gestão de Pedro Taques na expansão e popularização da cultura, sem perder a tradição. “É muito importante valorizar nossas tradições e identidade cultural especialmente no que diz respeito aos povos tradicionais de Mato Grosso. É importante que os eventos culturais promovidos pelo Estado, ao mesmo tempo em que trazem este ar cosmopolita de vanguarda, experimentação e uma nova sensibilidade, coloquem Mato Grosso em uma conexão com o circuito cultural mundial”. 

O Setembro Freire seguirá até o fim do mês com uma ampla programação cultural espalhada pela cidade, com exposições, performances culturais, palestras e lançamento de livros. A programação completa pode ser conferida no site www.casasilvafreire.org.br e no facebook Casa Silva Freire. 

 

Fonte Secom/MT

Redes Sociais