Em seu segundo dia de viagem aos EUA, Governador Pedro Taques visita uma das 20 melhores universidades do mundo

 

No segundo dia da viagem oficial aos Estados Unidos, o governador Pedro Taques visitou a Universidade de Columbia, a mais antiga instituição de ensino superior do estado de Nova York, quinta mais antiga do país norte-americano e que está entre as 20 melhores do mundo. Além de conhecer o complexo educacional, o chefe do Executivo concedeu entrevista a alunos da Escola de Assuntos Internacionais e Públicos (School of International and Public Affairs) da universidade. 

No período da tarde, a programação inclui reuniões com fundos de investimentos e investidores norte-americanos. O objetivo do Governo, por meio de seu administrador e dos secretários de Estado de Desenvolvimento Econômico, Seneri Paludo, e adjunta de Acompanhamento das Políticas e Programas de Desenvolvimento, Rita Chiletto, é o de mostrar as potencialidades do Estado, com foco no agronegócio, para atrais recursos. 

Já a noite, Taques e a comitiva de Mato Grosso vão prestigiar o Person of the Year Awards 2015, organizado anualmente desde 1970 pela Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos (Brazilian American Chamber of Commerce), que homenageia dois líderes, sendo um brasileiro e um norte-americano, com o propósito de estreitar laços entre as duas nações. Neste ano, os homenageados serão os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Bill Clinton. 

A viagem oficial aos Estados Unidos termina na quarta-feira (13.05), após a participação do governador no seminário Lide Business Meeting, no Harvard Club, em Nova York. No evento, que é promovido pelo Lide – Grupo de Líderes Empresariais em conjunto com a Câmara de Comércio Brasil-Estados Unidos, o governador apresenta novamente a empresários os atrativos da economia mato-grossense para geração de negócios, em busca de novos aportes. 

Primeiro dia 

O governador Pedro Taques dedicou o primeiro dia de sua viagem aos Estados Unidos para se reunir com os bancos Interamericano de Desenvolvimento (BID) e Mundial. No primeiro deles, Taques expôs os desafios que Mato Grosso enfrenta, especialmente os relativos à infraestrutura e logística para escoamento de sua produção. 

Nesse sentido, pediu aos representantes do banco que dedicassem esforços para ajudar o Estado, uma vez que as transações financeiras do agronegócio são todas estabelecidas em dólar, fator que interessa ao BID. “Mato Grosso é um grande produtor e que contribui enormemente com a balança comercial brasileira, mas tem dificuldades de infraestrutura e logística e para superar isso é que precisa do apoio de instituições como o Banco Interamericano de Desenvolvimento”, defendeu Taques. 

Uma solução apresentada pelos representantes do Governo nos Estados Unidos foi o escoamento da produção pela região Oeste. A atual administração já trabalha para implantar a Zona de Processamento e Exportação (ZPE) de Cáceres, mas depende de recursos para tirar o projeto do papel. 

Aos membros do BID, Taques lembrou, ainda, da importância da região pantaneira de Mato Grosso para o desenvolvimento e o turismo brasileiro e reiterou o desejo de que os recursos do extinto programa BID Pantanal, alocados no início da década passada, sejam retomados. 

Os agentes do BID se comprometeram com o Governo a definir uma agenda para virem a Mato Grosso para debater os interesses do Estado e estruturar a parceria que começa a se estabelecer de forma promissora. 

No Banco Mundial, Pedro Taques ressaltou as diretrizes utilizadas pela nova administração de Mato Grosso, respaldadas pelos acordos de resultados assinados pelos secretários de Estado e demonstrou o compromisso do Governo com políticas públicas que transformem para melhor a vida dos cidadãos. Além disso, o governador apresentou dados socioeconômicos e as potencialidades de Mato Grosso. 

O coordenador-geral de Operações no Brasil do Banco Mundial, Boris Utria, afirmou que a instituição tem significativo interesse em trabalhar conjuntamente com Mato Grosso devido as características singulares que a unidade federativa apresenta e também ao programa de governo executado, que se apoia na transparência. Para ele, a instituição bancária pode ser aliada do estado, inclusive, no fornecimento de assistência técnica para promover nível de segurança que servirá para alavancar novas negociações, já que as garantias dadas pelo banco abrem as possibilidades para outros investidores. 

Após debaterem assuntos relacionados às políticas de educação, saúde, habitação e ações sociais, representantes do Banco Mundial propuseram que, daqui a dois meses, venham a Mato Grosso aprofundar as negociações e efetivar a parceria com o Governo do Estado.

 

Redes Sociais