Estado deve manter isenção do ICMS e tarifa do ônibus será de R$ 3,60

O governador Pedro Taques avalia a manutenção da isenção do ICMS do óleo diesel para as empresas responsáveis pelo transporte coletivo urbano de Cuiabá para reduzir o impacto do aumento da passagem de ônibus para a população. 

Na tarde desta segunda-feira (22.02), o governador Pedro Taques se reuniu com o prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes, no Palácio Paiaguás, para debater sobre os custos da tarifa do transporte coletivo na capital, que atualmente se encontra em R$ 3,10, mas será reajustada no sábado (27.02).

O governador Pedro Taques afirmou que irá debater  com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz) e com a Procuradoria Geral do Estado (PGE) sobre a manutenção do benefício para as empresas entre outras soluções que diminuam os impactos na vida do cidadão.

Até esta sexta-feira (26.02), o chefe do Executivo dará uma resposta definitiva para a Prefeitura da capital.

Segundo o prefeito Mauro Mendes, a Agência Municipal de Regulação de Serviços Públicos Delegados de Cuiabá (Arsec) informou um reajuste de 22% da tarifa, que irá de R$ 3,10 para R$ 3,80. Com a isenção do ICMS, o preço cairia para R$ 3,60.

Conforme o prefeito, além da inflação e o aumento dos custos dos produtos, a crise de 2015 foi responsável pela diminuição dos usuários da capital, o que retlete no aumento do preço da passagem. “É um momento muito sensível e temos que ter cautela. Por isso, nós apelamos ao governo do Estado de Mato Grosso para que mantivesse a isenção [do ICMS] do óleo diesel, que vai permitir reduzir de R$ 3,80 para R$ 3,60”, afirmou o prefeito.

Site Folha Max

Redes Sociais