STJ nega HC a ex-governador, que completa 222 dias preso no CCC

O ministro Antonio Saldanha Palheiro, do Superior Tribunal de Justiça, negou habeas corpus ao ex-governador Silval Barbosa (PMDB), que segue preso em decorrência da 3ª fase da “Operação Sodoma”. A decisão ocorreu no início da tarde desta quarta-feira.

A terceira prisão preventiva de Silval, que está detido desde setembro de 2015, foi cumprida em 23 de março. Ele já teve um pedido de liberdade negado pelo desembargador Alberto Ferreira de Souza, da 2ª Câmara Criminal.

O STJ não disponibilizou a integra da decisão. No entanto, os ministros do órgão não costumam revogar prisões, por meio de liminar, em que não são configuradas “flagrante ilegalidade”.

Com a negativa do STJ, a defesa do ex-governador deve ingressar com habeas corpus junto ao Supremo Tribunal Federal (STF) ainda nesta semana. Em Brasília, a banca jurídica do ex-governador é reforçada pelo criminalista Antonio Carlos de Almeida Castro, o "Kakay".

OPERAÇÃO SODOMA

A terceira fase da “Operação Sodoma” foi baseada na delação premiada firmada pelo empresário Willians Paulo Mischur. Ele revelou que pagava propina de cerca de R$ 500 mil por mês para manter ativo o contrato de sua empresa para gerenciamento de empréstimos consignados dos servidores públicos. Segundo ele, os pagamentos eram feitos, incialmente, ao ex-secretário de Administração, Cézar Zílio, que repartia o dinheiro com os demias membros do Governo.

Mischur revelou por duas vezes se reuniu com Silval. Na primeira, dentro do Palácio Paiaguás, foi questionado sobre o valor da propina que era repassado.

A segunda reunião ocorreu no apartamento do governador, no bairro Jardim das Américas. Na ocasião, foi informado que deveria repassar a propina direto a Pedro Elias Domingos, então assessor da SAD, que depois se tornou secretário da pasta.

Nesta fase, além do novo mandado contra Silval, foram presos Sílvio Cézar Correa Araújo, ex-chefe de gabinete,  e o ex-adjunto de Administração, coronel José de Jesus Nunes Cordeiro.

Na última segunda-feira, a Delegacia Fazendária deflagrou a quarta fase da “Operação Sodoma”. O alvo foi o filho do ex-governador, o médico Rodrigo Barbosa, que também foi preso e está na mesma unidade prisional que o pai.

 

Site Folha Max

Redes Sociais