Filho de Silval tenta liberdade no STJ

O médico e empresário Rodrigo Barbosa ingressou com pedido de liminar em habeas corpus no STJ (Superior Tribunal de Justiça). Ele é filho do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e está preso preventivamente desde o dia 25 de abril pela suspeita de recebimento de propina de R$ 455 mil da empresa Web Tech que mantinha contrato com a gestão estadual.

A suspeita de participação no esquema veio a tona com a quarta fase da Operação Sodoma da Polícia Civil. O pedido de liminar em habeas corpus foi distribuído ao ministro Antônio Saldanha Ribeiro, o mesmo que já negou liberdade ao ex-governador Silval Barbosa e ao ex-secretário de Estado de Fazenda, Marcel Souza de Cursi. 

Conforme o Ministério Público Estadual (MPE), Rodrigo Barbosa atuou como um dos dois principais "arrecadadores" das propinas obtidas mediante o esquema de fraudes fiscais investigado na operação Sodoma. De acordo com o MP, Rodrigo atuava como “longa manus” do líder do esquema, seu pai, que o utilizava para arrecadar propinas e lavar o dinheiro em benefício do ex-governador.

Sua tarefa era "identificar aliados e 'fonte de receita' para o grupo criminoso e arrecadar a parte da vantagem indevida que cabia a Silval Barbosa" nos casos em que a quadrilha cobrava propina em função de benefícios fiscais ou para autorizar adesões a pregões e contratos da Secretaria estadual de Administração (SAD). Ao lado do pai, Rodrigo é um dos 17 denunciados com base na última fase de investigações, as quais basearam sua prisão preventiva decretada pela 7ª Vara Criminal de Cuiabá. 

As investigações também se baseiam em depoimentos dos ex-secretários estaduais de Administração César Zílio e Pedro Elias, que, segundo o MP, admitiram participação no esquema enquanto ocuparam cargos no estado.

 

Site Folha Max

Redes Sociais