Taques lamenta operação na Seduc e anuncia "força tarefa" em obras

O governador Pedro Taques reafirmou nesta quarta-feira que o Governo de Mato Grosso terá ‘tolerância zero’ no combate à corrupção. Em mais um ato de transparência da gestão, Taques recebeu a imprensa para prestar esclarecimentos sobre as medidas adotadas pelo Governo do Estado em consequência da Operação Rêmora, deflagrada pelo Gaeco.

Pedro Taques falou durante a coletiva que os investigados no caso não fazem mais parte da gestão da Secretaria de Estado de Educação (Seduc). Além disso, ele disse que Permínio Pinto pediu afastamento para que as investigações prossigam com a máxima liberdade e que, desde a manhã desta quarta-feira, uma equipe composta por membros da Controladoria Geral do Estado (CGE) e Procuradoria Geral do Estado (PGE) atuam na Educação, sob orientação do secretário de Governo, José Arlindo de Oliveira Silva, que assumiu a pasta interinamente.

O governador considera que os fatos apurados pelo Gaeco são graves e a gestão busca saber exatamente o que aconteceu, através dos autos do processo. “Este fato é lamentável de todos os pontos de vista. Não há tolerância com corrupção, não há desculpas para a corrupção. Eu tenho 22 anos de vida profissional que eu só combato a corrupção. A corrupção é inaceitável”, destacou Taques.

Para o governador, o momento é de aprimorar ainda mais os mecanismos de controle dos contratos no Governo do Estado para que casos como os apurados pela Operação Rêmora sejam detectados antes de sua efetivação. De acordo com Taques, as 86 obras de construção e reforma de escolas contratadas com as empresas citadas na operação não sofrerão prejuízos. A Seduc tem cerca de 80 obras em andamento, não necessariamente com as empresas citadas na operação. As obras e reformas não sofrerão prejuízo no prazo de entrega. “Vamos ver contrato a contrato para saber como isso se deu. Avaliaremos o resultado daquilo que a equipe do José Arlindo trouxer também. Ao sabermos tudo o que aconteceu, vamos tomar todas as medidas para que o andamento das obras não seja prejudicado”, afirmou o governador.

Taques informou ainda que as demais secretarias estaduais também irão reforçar os mecanismos de controle contra a corrupção. Por último, o governador Pedro Taques reafirmou o respeito que deve à grande maioria dos servidores de Mato Grosso. “São 97 mil servidores em Mato Grosso. E 39 mil deste total são professores. A esmagadora maioria dos servidores é formada de pessoas honestas e que pensam num futuro melhor para nosso Estado. É por eles que não haverá tolerância para a corrupção, seja de um real ou de milhões de reais”.

 

Site Folha Max

Redes Sociais