Juíza recebe denúncia contra Silval, filho e mais 15; delação de arquiteto é homologada

A juíza Selma Rosane Arruda, da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, recebeu no último dia 19 de abril a denúncia contra 17 acusados de fraudes relacionadas a segunda e terceira fase da “Operação Sodoma”. Nesta quinta-feira, foi retirado o sigilo do processo.

Entre os denunciados estão o ex-governador Silval Barbosa, o filho Rodrigo Barbosa e os ex-secretários Sílvio Correa (chefia de gabinete), Pedro Nadaf (Casa Civil), Marcel de Cursi (Fazenda), e José Nunes Cordeiro (adjunto de Administração), presos pelas fraudes. Além disso, figuram como réus os ex-secretários de Administração, César Zìlio e Pedro Elias Domingos, além do ex-deputado José Riva, que colaboraram com as investigações. O ex-prefeito de Várzea Grande, Walace Guimarães (PMDB), também figura entre os réus.

Outra decisão da magistrada, ao acatar a denúncia, é homologar a colaboração do arquiteto José da Costa Marques, que não foi denunciado. Ele foi o responsável por revelar as autoridades que o terreno de R$ 13 milhões foi adquirido pelo ex-secretário César Zílio com recursos de propina pagas por empresários que firmavam contrato com o Governo do Estado.

A juíza também cobra do Ministério Público os termos de delação do empresário Willians Paulo Mischur, de Pedro Elias Domingos e de César Zílio. “Intime-se o Ministério Público a trazer a juízo os acordos respectivos no prazo de 10 (dez) dias, sob pena de indeferimento”, determina.

As segundas e terceiras fases da “Operação Sodoma” apurou a compra de um terreno de R$ 13 milhões na avenida Beira Rio, em Cuiabá. De acordo com as investigações da Delegacia Fazendária, a área foi adquirida por César Zílio com recursos de propina paga por empresários, entre eles, Willians Mischur, preso na 2ª fase da operação.

Mischur firmou termo de colaboração com o Ministério Público, e revelou que pagava R$ 500 mil de propina ao grupo político que comandava o Estado para manter o contrato da empresa Consignum para gerenciar empréstimos realizados por servidores públicos. Ele citou que discutiu a propina com o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e que repassava os valores para Zílio e, posteriormente, Pedro Elias Domingos.

Na terceira fase, a Delegacia Fazendária prendeu Pedro Elias e cumpriu novo mandado contra Silval. O ex-secretário de Administração também firmou acordo de delação e revelou que o filho do ex-governador, o médico Rodrigo Barbosa, também recebia propina de empresários que firmavam contratos com o Governo. Rodrigo foi preso na quarta fase da operação.

Confira os réus: 

1 - SILVAL DA CUNHA BARBOSA

2 - PEDRO JAMIL NADAF

3 - MARCEL SOUZA DE CURSI

4 - RODRIGO DA CUNHA BARBOSA

5 - SÍLVIO CEZAR CORREA ARAÚJO

6 - JOSÉ DE JESUS NUNES CORDEIRO

7 - CÉSAR ROBERTO ZÍLIO

8 - PEDRO ELIAS DOMINGOS DE MELLO

9 - FRANCISCO GOMES DE ANDRADE LIMA FILHO (CHICO LIMA)

10 - KARLA CECÍLIA DE OLIVEIRA CINTRA

11 - JOSÉ GERALDO RIVA

12 - TIAGO VIEIRA DE SOUZA DORILEO

13 - FABIO DRUMOND FORMIGA

14 - BRUNO SAMPAIO SALDANHA

15 - WALLACE DOS SANTOS GUIMARÃES

16 - ANTÔNIO RONI DE LIZ

17 - EVANDRO GUSTAVO PONTES DA SILVA

 

Site Folha Max

Redes Sociais