Radares são quebrados para racha de carros em Cuiabá

Mais três radares fixos de fiscalização foram serrados e incendiados na madrugada desta terça-feira (09) em Cuiabá. Com este já são três casos muito parecidos registados em 15 dias, todos eles sem prisões.

No último dia 25 de julho, um radar foi vandalizado na avenida das Torres e no último domingo (7) outro radar também foi destruído na mesma avenida. Desta vez os equipamentos da avenida Arquimedes Pereira Lima, conhecida como Estrada do Moinho, foram detonados.

O supervisor do setor de multas da Secretaria de Mobilidade Urbana da capital (Semob), Lucas Lobato, acredita que estes crimes de depredação do patrimônio público são para garantir racha nestas avenidas propícias a isso. Racha é uma prática ilegal, de disputa de velocidade entre carros.

Segundo Lobato, em outras capitais, em locais de racha, também são registradas ocorrências como estas. “O maior prejuízo é de vidas humanas, porque nesses locais motoristas voltam a se exceder em velocidade e o risco disso é de acidentes”, ressalta o supervisor.

Ele considera também que estas ações podem estar partindo “de gente que não gosta de ser enquadrada e estaria revoltada com as multas”. Irritado, diz que o Código de Trânsito Brasileiro é uma lei sancionada há três décadas e só agora começa a ser regulamentada. Na visão dele, já deu tempo para as pessoas saberem que precisam respeitar regras.

O consórcio Cuiabá Monitoramento de Transito (CMT), em contrato, é responsável pela reposição dos equipamentos destruídos e ainda não fez isso nos casos citados. A Semob e o CMT conversaram no sentido das empresas concessionárias estudarem uma forma de filmar a ação de criminosos, na tentativa de responsabilizá-los. “Eles fazem isso em locais ermos e onde não há testemunhas”, lamenta Lobato.

Após 2 anos de vigor do sistema de monitoramento na capital, 20 equipamentos de fiscalização eletrônica já foram danificados. A Polícia Civil investiga os casos.

 

Fonte: Keka Werneck

Gazeta Digital

Redes Sociais