Polícia Militar de Mato Grosso alerta jogadores de Pokémon Go

A Polícia Militar de Mato Grosso publicou algumas dicas de segurança para os jogadores mato-grossenses do jogo Pokémon Go. Em seu perfil oficial do Facebook, a corporação listou alguns conselhos aos ‘mestres virtuais’. Em diversas partes do mundo, há relatos de gamers que foram assaltados ou se acidentaram enquanto procuravam os monstrinhos. Em Cuiabá, dois jovens foram abordados por policiais civis durante a madrugada.

O informativo do 1º Comando Regional dá as seguintes dicas: Não perca a sua atenção com o jogo. Lembre-se, criminosos preferem as vítimas distraídas; Não entre em todos os locais, você poderá invadir uma propriedade alheia ou ser atraído por um criminoso e Crianças, não interajam com desconhecidos, isto é perigoso.
 
Disponível para Android e IOS o jogo usa dados do Google Maps para espalhar monstrinhos, PokéStops e ginásios pelas ruas da sua cidade. Os pokémons aparecem aleatoriamente pelo mapa, respeitando um nível de raridade e algumas condições geográficas. Os de água, tendem a surgir próximo de rios, lagos e mares.
 
Algumas criaturinhas são mais difíceis de pegar. Mas conforme os treinadores jogam, novas pokébolas mais eficazes também ficam disponíveis. O objetivo é que os jogadores andem pela cidade a procura das criaturas. Entre os pokestops e ginásios estão estabelecimentos comerciais e outros pontos urbanos. Grafites espalhados pela cidade são alguns dos exemplos.
 
De acordo com a Niantic, empresa desenvolvedora de "Pokémon Go", troca de monstrinhos e batalhas entre jogadores são recursos que devem ser agregados ao jogo em breve. O game de bolso valorizou as ações da Nintendo, se tornou mais usado que Twitter e Tinder e provocou todo tipo de fenômeno – de lesões em jogadores a alertas de departamentos da polícia por todo o mundo.

Redes Sociais