Servidores da Sema iniciam paralisação de 5 dias

Os servidores da Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA) iniciaram nesta segunda-feira uma paralisação em todo Estado. O movimento paredista vai durar até o dia 9 de setembro.

De acordo com o sindicato da categoria, os servidores cobram o compromisso firmado pelo vice-governador Carlos Fávaro (PSD) em solucionar a enorme defasagem salarial dos profissionais de Meio Ambiente. “O vice-governador assumiu conosco compromissos de realinhamento salarial da carreira com as demais consideradas por ele como de atribuições assemelhadas. Hoje, a tabela de subsídios dos profissionais de Meio Ambiente é uma das piores do Estado, continuando a situação atual, em maio de 2017, um técnico de nível médio do Intermat e  da Empaer irá receber no final de carreira mais que um analista de meio ambiente de nível superior da Sema”. 

O sindicalista colocou ainda que outras medidas adotadas pelo Governo impedem a compensação da defasagem salarial. “O governo se posicionou contrário a concessão de uma verba indenizatória aos profissionais de meio ambiente, que seria uma forma de compensar esta defasagem já que devido ao estouro dos limites da LRF, a gestão alega não poderá conceder o realinhamento e ainda fomos pegos de surpresa com esse decreto nº 675 datado de hoje(31) que impede qualquer apresentação de proposta que tenha como finalidade a revisão de planos de cargos e salários”, comenta Gilcélio Lima presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Carreira dos Profissionais do Meio Ambiente do Estado de Mato Grosso”.

A categoria atentou se reunir com vice-governador e Secretário Estado de Meio Ambiente, Carlos Fávaro. “Queremos que o governo trate a nossa categoria com respeito e entenda que queremos uma garantia de realinhamento salarial e uma forma de compensar as perdas que já sofremos até o presente momento”, explica Gilcélio.

 

Site Folha Max

Redes Sociais