Dois consórcios manifestam interesse em disputar licitação para a PPP da iluminação

Dois consórcios se apresentaram nesta terça-feira (1º), para o credenciamento dos interessados em participar da licitação que definirá o responsável pela parceria público-privada (PPP) da iluminação pública. A Prefeitura de Cuiabá recebeu propostas dos Consórcios Infrel, com sede em Minas Gerais, e Cuiabá Luz, da Bahia.

A sessão foi aberta com a conferência da documentação dos interessados, primeira fase do certame. Nesta etapa, o consórcio Infrel foi desclassificado por apresentar fiança particular e não bancária, como é especificado no edital. O consórcio recebeu cindo dias para recurso e o processo foi suspenso durante o período.

Fazem parte do consórcio Infrel as empresas Elglobal Construtora LTDA, Neon Construções Elétricas LTDA e Tricon Construtora e Incorporadora LTDA. Já o consórcio Cuiabá Luz foi classificado para a próxima etapa e é formado pelas empresas FM Rodrigues e Cia LTDA, Cobrasin Brasileira de Sinalização e Construção LTDA e Sativa Engenharia LTDA.

“A segunda etapa do processo licitatório é a apresentação de proposta técnica, onde será analisada a capacidade técnica e financeira do consórcio em cumprir as metas estipuladas no edital. O terceiro passo é a análise da proposta comercial, ou seja, o menor valor oferecido pelos interessados. Por último, a habilitação, que irá verificar se o consórcio está regular fiscal, jurídico e financeiramente. Após todas essas etapas, o consórcio que for classificado assinará o contrato da PPP”, explicou o procurador-geral do município, Rogério Gallo, lembrando que todo o processo deve ser finalizado em 40 dias.

PPP da iluminação pública

O certame prevê a contratação de empresa para a modernização, otimização, expansão, operação e manutenção da infraestrutura de iluminação pública no município. A concessão prevê a troca de 67 mil pontos de iluminação por lâmpadas de LED em três anos.

O modelo de concessão administrativa terá 30 anos, com custo total de R$ 712 milhões, sendo R$ 270 milhões em investimentos e R$ 112 milhões em custos de operação e manutenção. As contraprestações da administração municipal serão de R$ 12,5 milhões no primeiro ano e de R$ 25 milhões nos anos seguintes.

Além da redução no consumo, o projeto de substituição dos pontos de iluminação trará um aumento na sensação de segurança, redução dos acidentes de trânsito, uso noturno dos espaços públicos e incremento do turismo e negócios.

O projeto ainda consiste na instalação de iluminação artística em praças e avenidas, manutenção corretiva e preventiva dos pontos de iluminação, adequação da luminosidade de acordo com as normas técnicas vigentes, cadastro de todos os pontos, onde será possível averiguar de forma rápida os problemas.

Redes Sociais