Órgãos públicos mantêm expediente nesta sexta; falta terá corte de ponto

Os principais órgãos públicos do Estado manterão expediente nesta sexta-feira (28), dia em que muitas categorias aderiram à paralisação nacional, contra as reformas trabalhista e previdenciária. Nenhum órgão cortará o ponto dos funcionários que participarem das manifestações.

O Governo do Estado informou que não fará alteração no expediente e que todos os órgãos funcionarão normalmente.

O mesmo vale para as Prefeituras de Cuiabá e Várzea Grande.

A Assembleia Legislativa também manterá expediente. Já a Câmara de Vereadores de Cuiabá decretou ponto facultativo.

O TJ informou, no entanto, que apesar de manter expediente, o atendimento ao público externo não poderá ser garantido em sua integralidade, por conta da possível indisponibilidade de transporte público.

O Tribunal Regional do Trabalho em Mato Grosso manteve as atividades, porém os prazos processuais foram suspensos. Eventuais dificuldades de locomoção deverão ser informadas nos processos para análise do juiz responsável.

Os servidores que participarem da manifestação não terão o ponto cortado, mas deverão compensar em outro horário.

O Tribunal de Contas do Estado (TCE) e o Ministério Público do Estado (MPE) também terão o expediente.

Apesar das instituições não decretarem ponto facultativo, algumas categorias sindicais afirmam que participarão das manifestações.

O Fórum Sindical afirmou que 32 sindicatos de servidores estaduais irão paralisar suas atividades.

O Sindicato dos Servidores do Poder Judiciário do Estado de Mato Grosso (Sinjusmat), o Sindicato dos Oficiais de Justiça (Sindojus),o Sindicato dos Analistas Judiciários (Sinaj) e a Associação dos Servidores do Poder Judiciário (Aspojud) aderiram à greve e vão participar de atos públicos em frente ao Fórum da Capital, às 10 horas. Também participarão magistrados, servidores da Justiça federal, Ministério Público Federal, Ministério Público Estadual e Defensoria Pública.

Outra manifestação está marcada para as 15 horas, na Praça Ipiranga, no Centro, com todas as categorias e centrais sindicais. Informações extraoficiais dão conta de que, nos órgãos do executivo, servidor que parar para manifestar pode ter o ponto cortado.

 

Site: Reporter MT

Redes Sociais