PSB nacional não reverte afastamento da direção do partido em MT

Os membros afastados da liderança do Partido Socialista Brasileiro (PSB) em Mato Grosso pediram, na manhã desta quinta-feira (11), a reativação da diretoria estadual ao presidente nacional da legenda, Carlos Siqueira. O impasse, no entanto, permanecerá por mais alguns dias, porque Siqueira informou que somente dará uma resposta sobre o caso na próxima semana.

Durante reunião em Brasília, nesta quinta-feira, as lideranças afastadas do PSB em Mato Grosso pediram para retomar seus cargos e também solicitaram mais independência em seus mandatos durante votações de projetos no Congresso Nacional.

Carlos Siqueira, porém, frisou que os parlamentares devem acompanhar as orientações da legenda. O presidente nacional do PSB pediu um prazo para consultar a diretoria nacional da legenda sobre o assunto. A expectativa é de que a resposta dele seja dada na próxima semana, porém ainda não há data definida.

O então presidente estadual do PSB, Fábio Garcia, e os outros membros da diretoria do partido em Mato Grosso foram destituídos de seus cargos pela Executiva Nacional da legenda, após Garcia contrariar comando nacional da sigla e votar a favor da reforma trabalhista proposta pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB). A decisão pela destituição do deputado federal do cargo e dos outros membros do PSB foi tomada pelo presidente nacional do partido.

Na reunião com a Executiva Nacional, nesta quinta-feira, estiveram presentes os deputados federais Fábio Garcia e Adilton Sachetti e os deputados estaduais Eduardo Botelho, Oscar Bezerra e Adriano Silva.

Durante o encontro, os representantes estaduais tentaram entrar em um consenso com a Executiva Nacional para reconduzir os membros do partido aos cargos dos quais foram destituídos. No diálogo, os líderes afastados também não descartaram a possibilidade de ser feita uma executiva provisória em Mato Grosso.

As diversas medidas e tentativas dos membros do PSB em melhorar a relação com o presidente nacional do partido demonstra o interesse que eles possuem em permanecer na legenda. Apesar dos diversos imbróglios das últimas semanas, os membros da legenda ainda não cogitam a possibilidade de uma saída em massa.

No encontro, também foi discutida a orientação do partido para a votação referente à reforma da previdência. Os 14 deputados do PSB que votaram a favor da reforma trabalhista se manifestaram a favor da alteração na previdência, porém defendem algumas alterações no texto proposto pelo Governo Federal.

O comando do PSB nacional, no entanto, orientou que os parlamentares também votassem contra a outra reforma proposta por Temer. Em razão dos já declarados votos diferentes da orientação da executiva nacional, os parlamentares debateram sobre possíveis punições que podem ser aplicadas àqueles que votarem a favor da medida.

A DESTITUIÇÃO DE GARCIA

O então presidente estadual do PSB, Fábio Garcia, e os outros membros da diretoria do partido em Mato Grosso foram destituídos de seus cargos pela Executiva Nacional da legenda, após Garcia contrariar comando nacional da sigla e votar a favor da reforma trabalhista proposta pelo presidente da República, Michel Temer (PMDB). A decisão pela destituição do deputado federal do cargo e dos outros membros do PSB foi tomada pelo presidente nacional do partido.

Carlos Siqueira comunicou ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que Garcia e mais outros três presidentes do PSB, em outros estados, seriam destituídos por terem votado diferente do que havia sido acordado pela Executiva Nacional da legenda. Além de Garcia, também foram destituído de presidências estaduais do PSB os deputados federais Maria Helena (RO), Daniel Forte (CE) e Tereza Cristina (MS), que também era a líder do partido na Câmara dos Deputados.

Em razão do imbróglio, o deputado federal Fábio Garcia e os outros três parlamentares destituídos dos cargos de presidentes estaduais do PSB protocolaram requerimento interno, para que possam retomar suas funções na legenda. No entanto, ainda não obtiveram uma resposta oficial do partido.

 

Fonte: Site FolhaMax

Redes Sociais