Juíza anuncia homologação de Nadaf; ministro do STF decreta sigilo

A juíza da 7ª Vara Crminal de Cuiabá, Selma Rosane Santos Arruda, anunciou há pouco que o acordo de colaboração premiada do ex-secretário da Casa Civil de Mato Grosso, Pedro Nadaf, está homologado. A delação está no Supremo Tribunal Federal.

No entanto, o relator do processo, ministro Luiz Fux, determinou sigilo nas investigações. Selma fez a revelação antes do início da audiência da "Operação Sodoma", que investiga um esquema de desapropriação de uma área correspondente ao bairro Jardim Liberdade, que teria dado um prejuízo de mais de R$ 15 mlhões aos cofres públicos do Estado.

Preso em setembro de 2015, Nadaf chegou a ficar detido no Centro de Custódia de Cuiabá por quase um ano. Ele foi solto em 6 de setembro de 2016 por decisão da magistrada diante da decisão do ex-secretário dos ex-governadores Silval Barbosa (PMDB) e Blairo Maggi (PP), atual ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em colaborar com as investigações.

Nadaf é réu em várias fases da "Operação Sodoma" e também na "Operação Seven". Ao todo, ele responde cinco ações criminais.

TSUNAMI

A delação de Pedro Nadaf junto ao STF deve gerar ainda neste mês uma ampla operação da Polícia Federal. Ele teria entregado vários esquemas de corrupção nos poderes de Mato Grosso.

Um dos alvos de Nadaf teria sido o ministro Blairo Maggi, um outro senador da República, quatro dos atuais deputados federais e cerca de 12 deputados estaduais. Nadaf também acusou que consleheiros do Tribunal de Contas teriam exigido R$ 50 milhões em propina para aprovar as contas de Silval Barbosa, em 2014.

Como os depoimentos dele envolvem autoridades com prerrogativa de foro em várias instâncias do poder judiciário, os processos oriundos da delação do ex-secretário deverão ser desmembrados, tanto para a 1ª e 2ª instância, quanto para o STJ (Superior Tribunal de Justiça) e STF (Supremo Tribunal Federal).

 

Fonte: Site Folha Max

Repórter: CARLOS DORILEO

Redes Sociais