Arquitetura do Novo Shopping Popular de Cuiabá vai preservar memória do bairro do Porto

O arquiteto e urbanista, Luiz Fernando Lemos Rocha, que fez o projeto de arquitetura do Novo Shopping Popular, conta como foi inspirado e pensado o projeto. “A principal ideia foi manter o resgate histórico do bairro do Porto em Cuiabá, este que pode ser considerado o bairro mais antigo da cidade e cartão de visita, devido estar localizado em um dos principais acessos a capital”declarou. 

Rocha explica que a ideia é manter um traço urbano colonial de época, com uma característica histórica, mas ao mesmo tempo com uma identidade própria, levando ao visualizador da edificação a se lembrar de um “mercado público antigoe assim possibilitara preservação da memória não só do bairro,mas também dos camelôs que ali se estabeleceram.

Segundo os historiadores o Porto foi o bairro mais importante de Cuiabá, considerando a sua historicidade datada no início do século XVIII. Porto Geral, como era conhecido o Porto de Cuiabá foi cenário de intenso tráfego fluvial, em especial após o fim da Guerra do Paraguai quando a navegação foi restabelecida.

Dentre as principais características da edificação estão molduras aparentes e arcos sobre as portas de acesso, molduras essas muito utilizadas em casarões antigos, como exemplo o Mercado Público (museu do rio), Casa do Artesão, Sesc Arsenal, Palácio da Instrução, dentre outros prédios históricos que preservam o estilo colonial antigo.

De acordo com o arquiteto e urbanista pode se afirmar que é de extrema importância citar que a atual engenharia possibilita trazer as memorias de época utilizando de materiais altamente tecnológicos e eficientes, como exemplo disso, a aplicação do EPS (isopor) em grande parte da obra que é um material extremamente leve na edificação e que nos permitiu a construção de um prédio sustentável para a região de clima tropical.“Todas as paredes são de vedações, as molduras da fachada e as telhas da cobertura são fabricadas em EPS, mantendo assim um excelente tratamento térmico e acústico para o Shopping e desta forma além do conforto na edificação é evitado à extração de matérias primas da natureza, como argila utilizada em tijolos e telhas de barro”.

Outro item de relevância no projeto foi à preocupação com consumo de energia elétrica e água, como também na iluminação, que será com uso de lâmpadas de led, mantendo assim o prédio em patamares de consumo de energia aceitáveis, “a eficiência energética é uma forma muito rápida e eficaz de se diminuir impactos ao meio ambiente”, pontuou o arquiteto.

Luiz Fernando Lemos Rocha agradeceu a Associação do Shopping Popular na pesso do Presidente da Associação Misael Galvão pela confiança depositada a um profissional local e disse que não poderia de deixar de falar da sua satisfação com a aceitação do projeto principalmente pelos primeiros resultados e comentários recebidos.

O Presidente da Associação, também os envolvidos nas elaborações da faixada, que hoje vem se tornando um diferencial na obra, tendo em vista que esta obra está seguindo padrões elaborados de tecnologia e sustentabilidade.

“A Idéia de tornar a nossa faixada com referência história surgiu de um entendimento que tivemos na elaboração do contrato de concessão, com a Prefeitura e o TAC com o Ministério Público. E tornou uma grande homenagem a Cuiabá antiga, mais precisamente o bairro do Porto, onde inserimos no projeto da prefeitura com a revitalização do Porto-Cuiabá,e assim pensamos também no orgulho do cuiabano, com isso o Arquiteto Luiz Fernando retransmitiu muito bem nossas idéia de modernização juntando tecnologia, sustentabilidade e história, e saiu este grande projeto que na prática mostra a grandiosidade desta obra conseguimos chegar a este resultado, a família popular agradece e dá o parabéns a todos os envolvidos,a intenção é que cada um que passe pelo local sinta orgulho da nossa cidade e vire definitivamente um ponto turístico e cultural”. Afirma Misael Galvão.

Redes Sociais