Ministro do STF nega HC a ex-secretário Paulo Taques

O ministro do Supremo Tribunal Federal, Roberto Barroso, negou pedido de liberdade ao ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques. Com isso, o advogado, que está detido desde o dia 27 de setembro, segue no Centro de Custódia de Cuiabá.

Ainda não há detalhes sobre as alegações do ministro para negar o habeas corpus. A íntegra da decisão deve ser publicada nos próximos dias.

Paulo Taques foi preso na “Operação Esdras”, acusado de obstruir as investigações dos grampos ilegais em Mato Grosso. Ele teria participado de um plano para levantar a suspeição do desembargador Orlando Perri, que era o relator do caso até o ministro Mauro Campbell Marques requisitar todos os inquéritos relacionados ao caso para tramitar no Superior Tribunal de Justiça.

Desde então, ele já teve um pedido de liberdade negado pelo ministro Ribeiro Dantas, do STJ. 

SITUAÇÃO COMPLICADA

Nesta semana, a situação de Paulo Taques se complicou ainda mais. Ele foi apontado pelo cabo da Polícia Militar, Gérson Luiz Correa Junior, como o responsável por iniciar o esquema dos grampos ilegais em Mato Grosso.

Segundo o militar, em 2014 foi procurado por Paulo Taques para realizar escutas de adversários políticos do governador Pedro Taques (PSDB) durante a campanha eleitoral. Ele revelou ainda que o ex-secretário pagou R$ 50 mil ao ex-comandante-geral da PM, coronel Zaqueu Barbosa, e ao ex-secretário da Casa Militar, Evandro Lesco, para dar início ao “Sistema Sentinela”.

Paulo Taques teria sido o responsável por passar o nome de adversários políticos para que fossem realizados os grampos.Segundo Gérson, os relatórios das escutas eram repassados a Zaqueu Barbosa que reportava ao ex-secretário.

 

Fonte: Carlos Dorileo

Site Folha Max

Redes Sociais