TCE não autoriza repasse de 6,7 mi a Câmara de Cuiabá

As informações prestadas pelo prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro (PMDB) e pelo presidente da Câmara Municipal, Justino Malheiros (PV), não foram suficientes para convencer o Tribunal de Contas do Estado a rever a proibição imposta ao Legislativo Cuiabano quanto ao uso dos R$ 6,7 mlhões repassados pelo Executivo a título de suplementação orçamentária.

Por este motivo, o conselheiro Luiz Carlos Pereira manteve suspensa a suplementação realizada por Pinheiro 2 dias depois que os vereadores enterraram a proposta de CPI que visava investigar Emanuel Pinheiro por causa do episódio dos maços de dinheiro no paletó, cujos vídeos fazem parte da delação premiada do ex-governador Silval Barbosa (PMDB).

Para o conselheiro, as informações apresentadas pelos chefes de ambos os poderes não se mostram aptas para desconstituir a anulação do decreto municipal assinado por Pinheiro no começo de setembro.

Luiz Henrique determinou que os autos sejam encaminhados para à Secretaria de Controle Externo para análise dos documentos apresentados, bem como para regular instrução do mérito.

Fonte: Gazeta Digital

Redes Sociais