Governo libera Ponte Benedito Figueiredo para tráfego de veículos leves

O tráfego para veículos leves (carros pequenos, motos e pedestres) na ponte Benedito Figueiredo sobre o rio Coxipó, localizada entre os bairros Coophema e Praeirinho, em Cuiabá, será liberado a partir das 6h da próxima segunda-feira (19.02). As obras de reconstrução da cabeceira realizadas pelo Governo de Mato Grosso, por meio da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT), apresentam 90% de execução e eliminaram o risco de desabamento da construção. A empresa Conenge Construção Civil LTDA é responsável pelos trabalhos, ao custo de R$ 514,4 mil.

A estabilização da margem esquerda da cabeceira da ponte com a utilização de gabiões caixa (tipo de estrutura armada, flexível, drenante e de grande durabilidade e resistência) e o reaterro compactado da área já estão finalizados. Restam apenas serviços de recapeamento no pavimento da estrutura, que devem ser realizados após o período chuvoso.

O local foi interditado devido a dois desmoronamentos ocorridos na margem esquerda da estrutura. O problema deveu-se à mudança no curso do rio Coxipó, que corta o local. “Não foi defeito da obra, foi a natureza do rio que provocou esse dano. Estamos entregando a recomposição da cabeceira da ponte, que será liberada a partir da próxima semana. Já com 90% de obras executadas e a população já poderá voltar a trafegar pela ponta Benedito Figueiredo”, explicou o secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos.

A liberação da ponte é um trabalho conjunto entre a Governo de Mato Grosso e Prefeitura de Cuiabá. O secretario de Mobilidade Urbana de Cuiabá (Semob), Antenor Figueiredo, explica que a Semob fará constantes fiscalizações na localidade para garantir apenas a passagem de veículos leves. Além disso, agentes de trânsito darão suporte na região, durante os primeiros dias de reabertura do tráfego. “Toda estrutura necessária da Semob estará no local para garantir a fluidez no trânsito e orientar os motoristas. As câmeras de monitoramento continuam trabalhando para aplicação de multas aos veículos pesados (acima de quatro mil quilos), que continuam proibidos de passar. Também faremos bliz

relâmpago no local. Caso os veículos não permitidos forem pegos, serão multados”, enfatizou o secretário municipal.

O coordenador de Proteção e Defesa Civil de Cuiabá, coronel Paulo Wolkmer, visitou os serviços realizados na estrutura e atestou o fim do risco constatado no final de 2017. “Aqui, nesse momento é risco zero. A obra, no ponto de vista técnico está muito bem executada e o local não apresenta mais riscos à população”, garantiu Wolkmer.

Parceria

Desde o início dos primeiros desmoronamentos, ocorridos em fevereiro de 2017, as interdições e medidas paliativas foram executadas por meio da parceria entre Estado e Município. Os reparos emergenciais ficaram a cargo da Prefeitura Municipal de Cuiabá com base em projetos elaborados pela Secid-MT, em março de 2017.  “A parceria entre Governo de Mato Grosso e prefeitura de Cuiabá é nota dez e traz muitos benefícios à população. Estamos trabalhando juntos desde o início dos primeiros problemas na ponte e agora, em conjunto, vamos garantir o retorno do uso dessa importante via na região do Coxipó”, avaliou Wilson Santos.

O secretário Antenor Figueiredo também avaliou positivamente os trabalhos realizados pela Secid-MT e as constantes ações em conjuntos realizadas em Cuiabá. “De zero a dez, minha nota para essa parceria é dez. Fizemos a parceria na drenagem da Avenida Fernando Correa e também na ponte Benedito Figueiredo. Sempre com muito diálogo, fazemos sempre o que é possível”, disparou o secretário de Mobilidade.

Entenda

Após as primeiras patologias apresentadas na cabeceira esquerda da ponte Benedito Figueiredo, a Secid-MT realizou um processo licitatório para obras de reparo total do problema. A empresa A.I Fernandes Serviços de Engenharia, vencedora do certame, iniciou os trabalhos na estrutura em setembro de 2017.

Porém, terminado o prazo de 90 dias estabelecido para a conclusão total da obra, apenas 33% dos serviços haviam sido executados, mesmo diante das notificações da equipe de fiscalização da pasta. Devido ao não cumprimento do cronograma de obra e de outras cláusulas contratuais, a secretaria rompeu o contrato com construtora unilateralmente.

Após o início do período chuvoso em 2017, novos desmoronamentos ocorreram no local. A Defesa Civil de Cuiabá decretou, então, situação de emergência e a interdição total da ponte Benedito de Figueiredo, em dezembro do ano passado, abrindo caminho para a realização de processo emergencial de licitação, previsto na lei 8.666/93, no qual a empresa Conenge Construção Civil LTDA foi contratada.

Inicialmente, a empresa A.I Fernandes venceu a licitação a um custo de R$ 626,3 mil, porém só recebeu R$ 209 mil pelos serviços executados. A construtora Conenge, contratada emergencialmente, realizará a obra por R$ 514,4 mil.

 

Fonte: Ana Sampaio Da Assessoria

 

Redes Sociais