Denúncia pede cassação do vice-prefeito de Várzea Grande

A disputa política continua em Várzea Grande. Nesta quarta-feira, foi protocolado na Câmara de Vereadores um pedido de cassação do mandato do vice-prefeito Arilson Arruda (sem partido).

De acordo com a denúncia, o vice-prefeito não teria se desincompatibilizado das suas funções na iniciativa privada antes de assumir o mandato. Arilson é um dos sócios do Hospital Jardim Cuiabá.

A legislação impede que prefeito e vice mantenham atividades privadas durante o exercício do cargo. Arilson tomou posse no dia 7 de maio, um dia após a cassação do prefeito Walace Guimarães (PMDB) e do vice, Wilton Coelho (PR) pela Justiça Eleitoral do município.

O pedido de cassação será lido na sessão desta quarta-feira da Câmara. Os vereadores irão decidir se irão instalar uma comissão para investigar a denúncia.

Em entrevista ao FOLHAMAX, o vice-prefeito alega que deixou as funções na iniciativa privada no dia 8 de maio, ou seja, um dia após a diplomação e posse.  “Todos os documentos serão apresentados à Câmara. Estou tranqüilo de que tudo será esclarecido e irei permanecer no cargo”, disse.

Ele atribuiu a confusão devido a rapidez como ocorreu a cassação do ex-prefeito e a posse da atual gestão. “Tudo ocorreu em apenas 24 horas”, colocou.

PEDOFILIA

Também na sessão desta noite, a Câmara de Vereadores empossará o suplente Moacir Rodrigues (PSDB) na vaga do vereador afastado Nilo Campos (PV). Ele teve seu pedido de retirada temporária do cargo aprovado na semana passado acusado de manter um blog com conteúdo pornográfico na internet.

 

Site: Folha Max

Redes Sociais