Viaduto da Sefaz deve ser liberado em julho

As obras de reparo realizadas no viaduto Jamil Boutros Nadaf, mais conhecido como Viaduto da Sefaz, devem ser encerradas até o dia 30 de julho. Com a conclusão dos trabalhos, o tráfego na região será liberado novamente para a população. A informação sobre o término das obras foi tratada durante reunião entre profissionais da Secretaria de Estado das Cidades (Secid-MT) e membros do Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, atualmente responsável pelas obras que compreendem o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT). 

Conforme levantamento apresentado pelas empresas, os reparos que estão sendo realizados já estão em estágio avançado, porém as interferências no trânsito local serão mantidas até a conclusão das obras. De acordo com o secretário Eduardo Chiletto, a finalização das obras implicará em melhorias de tráfego para a região. Ainda em relação ao elevado, perícia realizada pela LSE (Laboratório de Sistemas Estruturais Ltda.) aponta que não há risco de desabamento. 

Em relação ao andamento das obras, o secretário-adjunto de Planejamento Urbano, Augusto César Figueiredo, explica que os trabalhos estão acontecendo nos turnos diurno e noturno, conforme informações repassadas pelo próprio Consórcio. Além disso, os reparos compreendem quinze etapas de construção que estão sendo realizadas de forma conjunta. 

Fases das obras 

De acordo com relatório entregue pelo Consórcio VLT Cuiabá-Várzea Grande, a primeira etapa realizada foi a inserção das estacas raiz para o reforço da fundação. Os materiais foram colocados nos pilares do viaduto e estão dispostos embaixo da terra. Junto destas também foram inseridas estacas de prova de carga. 

Com a finalização deste trabalho, começaram a ser executadas as ações de cimbramento, que é uma estrutura de suporte provisória utilizada durante o processo de construção e que, posteriormente, é retirada com a finalização da obra. Junto a este estágio também foi executado a colocação de concreto magro na região dos pilares do elevado. 

A terceira etapa compreendeu a realização de escavações em torno dos blocos de fundação. De acordo com informações do Consórcio VLT, somente o quinto pilar ainda se encontra nesta fase devido a necessidade do fluxo de veículos no local. Com a finalização das escavações, a etapa a seguir foi a de execução dos lastros de concreto para regularização do espaço e, ainda a elaboração do apicoamento e dos arranques nos blocos já existentes. 

A etapa a seguir contou com a montagem de armação e concretagem do reforço de cada bloco. O apicoamento dos pilares já existentes foi feito na sequência. Já a oitava etapa de trabalho compreendeu a execução do reforço com concreto em todos os pilares e, posteriormente, o reaterro dos blocos de fundação. 

A partir da 10ª etapa, os reparos passaram a compreender a parte superior do viaduto, ou seja, onde está localizada a pista de tráfego de veículos. O espaço está passando por ações de reforço com aço e os aparelhos de apoio estão sendo trocados. A armadura ativa da pista também está sendo reforçada com cabos de protensão e fibra de carbono. 

Ao final das atividades de engenharia, o viaduto será recomposto por pavimento, guarda-rodas (balizadores de tráfego) e sinalização necessária.

Redes Sociais